Cooperativa para a Educação e Reabilitação dos Cidadãos Inadaptados de Aveiro
Esta é a nossa missão...!Promover a inclusão social de pessoas com deficiências ou incapacidades e
garantir a defesa dos seus direitos individuais e de cidadania.
 

CERCIAV

A Nossa História


A CERCIAV iniciou o seu funcionamento em 16 de Novembro de 1975, em Aveiro, na Avenida Artur Ravara (junto ao Conservatório, ao Hospital e à Universidade), fruto da cooperação de pais e profissionais, tendo sido a primeira resposta no distrito de Aveiro à pessoa com deficiência intelectual e a terceira no país, depois da de Lisboa e da de Moita/Barreiro.

 

E a primeira resposta, tal como aconteceu com todas as CERCI´s e outras Organizações congéneres, centrou-se na Escola de Educação Especial que, no final do primeiro ano letivo, apoiava 30 alunos. Nessa altura, a grande e principal preocupação era a concretização do direito destas crianças à educação; que também elas tivessem a possibilidade de frequentar uma escola, ainda que especial.

 

Hoje, volvidos todos estes anos, as respostas sociais são as que abaixo apresentamos e as pessoas apoiadas são cerca de 500.

 

E a grande preocupação de agora é a organização dos apoios para que estas pessoas, independentemente do seu tipo e grau de deficiência ou de incapacidade, sejam efetivamente cidadãos como qualquer de nós: que vivam na sua comunidade, como nós vivemos na nossa; que usufruam da sua comunidade, como nós usufruímos; que tenham, se possível, uma ocupação útil e remunerada, como nós temos; que sejam tratados com a dignidade a que têm direito, como nós somos. CIDADANIA e SERVIÇO À COMUNIDADE são, pois, as ideias-força que procuramos transmitir, sobretudo a partir de 2005 em que a CERCIAV perfez 30 anos de existência.

 

A título de curiosidade histórica, aqui fica a sequência temporal da organização e implementação das principais respostas e atividades:

- 5 anos e meio depois de a CERCIAV ter iniciado o seu funcionamento com a Escola de Educação Especial, iniciou-se a primeira experiência de pré-profissionalização – o  Projecto Luso-Sueco - em abril de 1982, na Colónia Agrícola da Gafanha da Nazaré, sob a tutela do Ministério da Educação, a fim de os alunos serem preparados para a sua inserção profissional.

- 4 anos mais tarde, janeiro de 1986, deu-se continuidade ao programa da pré-profissionalização, mas em novos moldes, em novas instalações (adjacentes às acima referidas) e com novos equipamentos e sob nova tutela: o Instituto do Emprego e Formação Profissional (IEFP), embora com o mesmo objetivo.

- mais 2 anos, janeiro de 1988, e, nestas mesmas instalações, iniciou-se a formação profissional, sob a tutela do IEFP e com o co-financiamento do IEFP e do Fundo Social Europeu (FSE).

- mais quase 5 anos, outubro de 1992, e entrou oficialmente em funcionamento o Centro de Atividades Ocupacionais na Gafanha da Nazaré, precisamente nas instalações que tinham servido para a pré profissionalização do Projeto Luso-Sueco.

- 8 anos mais tarde, Junho de 2000, implementou-se a resposta social Serviço Domiciliário de Apoio às Famílias. E vale a pena referir que este serviço era, na altura, inédito no país: é que enquanto o Serviço de Apoio Domiciliário (SAD) oficial funcionava de segunda a sexta e das 9 às 18 horas, o SDAF funcionava das 8 às 23 horas, incluindo domingos e feriados e disponibilizava várias modalidades de apoio, incluindo companhia, em função das necessidades das pessoas. Curiosamente, hoje, o SAD oficial está bastante mais próximo desta conceção e práticas.

- 2001/2002 é o primeiro ano letivo do funcionamento do Centro de Recursos (ainda sem legislação específica), fruto da reconversão da Escola Especial, apoiando alunos com necessidades educativas especiais de escolas dos concelhos de Aveiro e de Ilhavo, quer nas próprias escolas, quer na CERCIAV, até dois dias por semana, incluídos em programas de Transição para a Vida Adulta (TVA), cuja primeira experiência havia iniciado em 1996/1997.

- 3 anos mais tarde, 2005, e de uma forma mais organizada e sistematizada, foi-nos solicitada pela Segurança Social a colaboração para a intervenção na medida Rendimento Social de Inserção.

- em 29 de Novembro de 2005, e em cumprimento da legislação em vigor, deu-se início ao funcionamento de um segundo Centro de Atividades Ocupacionais, desta vez em Aradas.

- finalmente, em 17 de Novembro de 2008 a CERCIAV deixou a casa onde “nasceu”, onde funcionava a Sede e a base logística do Centro de Recursos, e transferiu-se para um espaço mais moderno e mais funcional, em S. Bernardo.

 

Ora, é esta dinâmica que tem caraterizado a CERCIAV ao longo de todos estes anos. Uma dinâmica de procura das respostas mais adequadas e oportunas às necessidades das pessoas que apoia em cada fase do seu percurso de vida. Respostas que passaram e passam, naturalmente, pela construção de instalações (e que tipo de instalações), mas também, e sobretudo, pelo estudo de novas conceções e novas metodologias de intervenção, como o atestam as 7 publicações, em co-autoria ou com a participação de técnicos da CERCIAV ou a solo: 1992, 1995, 1996, 1998, 2003, 2008 e 2012, das quais uma com 2 edições e outra em 5ª edição.

voltar
 
Instituto do Emprego e Formação Profissional
QREN
DGERT
Segurança Social
Ministério da Educação
União Europeia
POPH
CERCIAV © 2014. Política de Privacidade
by INOVAnet